Colabore com o blogue

A partilha de informações e novidades são uma óptima forma de conhecermos melhor o local onde vivemos. Se tiver interesse em colaborar com o blogue, por favor envie as suas mensagens para o nosso contacto.
Para conseguirmos ter o que comprámos, é dever de todos os vizinhos zelar pelo cumprimento do plano de urbanização do Casal de Vila Chã e a correcção de erros já detectados.

Acompanhe os comentários a Promessas por cumprir.

sábado, 19 de janeiro de 2008

Cães: Falta de higiene num terraço indigna moradora

Boa tarde,

A propósito de um terraço que tenho observado e que felizmente não é no meu prédio.

Apesar de gostar muito animais, o meu bom senso diz-me que manter um cão num apartamento não é saudável para ninguém.
No meu prédio já existem alguns, mas como ainda não foi constituído condomínio não sei se existe forma de evitar certos abusos. Num terraço de um lote desta urbanização, está um cão de grande porte que fica dias consecutivos sem ser limpo. Um terraço imundo, cheio de xixis e cocós. Isto não deveria ser permitido, a falta de higiene prejudica todo o prédio, imagino que os moradores dos andares acima até evitem abrir as janelas devido ao mau cheiro e não só.... somos obrigados a coabitar com este tipo de situações?


____
Nota: e-mail enviado por Iolanda Costa

15 comentários:

Anónimo disse...

Olá Iolanda. Sou moradora em Vila Chã e infelizmente o meu prédio (lote 5) tem um terraço onde existe um cão e um espaço digno de uma visita de um delegado de saúde pública.
Não sei se existem outros prédios na mesma situação, mas posso dizer que no meu acontece isso mesmo. Esta situação é inadmissível!! Concordo que não devia ser permitido e acho que nem deveria ser necessário fazer queixa destas pessoas (o que me parece bastante incómodo, visto sermos vizinhos e achar que os conflitos devem sempre ser evitados).
Enfim, penso que as pessoas deveriam conseguir entender que coabitam com outras pessoas e que a nossa liberdade termina onde começa a liberdade dos outros...

Anónimo disse...

De facto situacoes como esta sao lamentaveis sobre todos os pontos de vista: para os donos (se calhar pessoas da melhor aparencia, perfumadas e com bons carros) que revelam atraves desta atitude muito mais do que aquilo que gostam de mostrar; para os vizinhos que muitos deles nao tem animais por opcao, que compraram uma casa nova e o que mais desejam em Vila Cha é poder usufruir dos belos dias de sol de janela aberta; e em ultima instancia para o pobres animais - que nao podem escolher o dono nem retribuir o abandono a que foram sujeitos.
Defendo que as situacoes de conflito deve ser sempre de evitar, mas uma chamada sem identificacao para a Policia Municipal da Amadora ou para a SEPNA (da GNR) podem resolver muitos problemas. Falo por experiencia propria de uma situacao que foi resolvida passado muito pouco tempo da denuncia. O que nao é justo é permitir que a situacao se arreste sem ninguem se pronunciar sobre ela. Sem os donos serem "incomodados" o mais provavel é nunca mudarem de atitude.

Anónimo disse...

Também resido num prédio onde já existiram 2 cães e nunca o terraço esteve sujo. O cuidado sempre imperou e os cães até eram uma segurança para quem habita por aqui e ainda por cima com terraços, alguns bem pouco altos.....convidativos a assaltos.
Os cães são úteis como guardas mas os seus donos devem de facto ser....asseados.

Anónimo disse...

Se no meu lote houvesse alguma situação desconfortável ia falar com a pessoa. Não o faria para levantar discussão mas sim para ver se há maneira de resolver o problema.
Obviamente que os animais não são objectos para se poder mandar fora quando estão a mais até porque para algumas pessoas estes são quase como filhos. Assim, de uma forma simpática, recomendar uma limpeza mais frequente ao terraço pode resolver a situação.

Anónimo disse...

Como já disseram, chamem a polícia municipal da amadora.

Anónimo disse...

Ainda ha outra maneira de chamar as pessoas á atençao e sem provocar situaçoes que possam vir a ser desagradaveis e conflituosas. Eu sugiro que, anonimamente, se escreva ao condonimo em questao a chama lo á atençao, e se coloque na sua caixa de correio, ao mesmo tempo a aconselhado a visitar este blogue. Pode dar resultados possitivos.
Mari Silva

Anónimo disse...

Sou residente na urb á cerca de 7 meses, sou da opinião(pois fui educado assim) que ao existir alguma situação que provoque desconforto á população a mesma deva ser discutida pessoalmente e não num blog onde ainda para mais revela a falta de carácter dos anónimos ao não terem a coragem ou frontalidade de falarem com uma pessoa que achem estar a proceder mal sobre qualquer aspecto.
Bruno Almeida Lt 58

Anónimo disse...

Boa noite.
Sou residente na urb há 1 ano. Não concordo com o último comentário (mas preferia concordar) e passo a explicar porquê. Já tive alguns cães e por acaso quando vim para a urb não tinha nenhum mas tive desde cedo problemas com um, mais propriamente o cão do vizinho do andar de cima. É um animal de grande porte com bastante pêlo que está sempre na varanda. Tenho há +/- 3 meses um cachorro que já foi intoxicado algumas vezes com as flores que os vizinhos teimam em ter na parte de fora da varanda. Alertei-os. Sem efeito. Lavo aquela varanda pelo menos 2 vezes por dia não só por causa do nosso cão mas acima de tudo pela quantidade enorme de pêlos que tenho sempre na varanda. Alertei-os. Sem efeito. Tenho uma filhota de 2 anos e meio que nunca teve permissão de brincar nessa varanda por causa desse problema. Estender a roupa nas varandas da frente? Impossível. Ainda por cima é onde está o estendal. Discutir pessoalmente? Quantas vezes? É lamentável que nos dias de hoje tenha que considerar telefonar para a polícia para ressolver estas questões. Já agora, e uma vez que estou privada do uso conveniente de 2 varandas, pelo menos gostaria de usufruir dos espaços da urbanização em pleno. Fica o alerta: não custa levar uns saquinhos de plástico no bolso quando se passeia o cãozinho! Lt 34

Anónimo disse...

Concordo com quem diz que não se deve deixar animais no meio de esterco e sujidades. O dono do "bicho" que tenha a cortesia para com o seu proprio animal de lava-lo e ja agora não e possivel despejar um animal de um condominio sem haver previamente disposição em reunião de condominos em tal sentido. Mais ainda, se os animais não incomodarem alem do normal, legalmente estão permitidos ate 3 (tres) caes por apartamento

Anónimo disse...

1- Qualquer incomodo tera de falar com as pessoas em questao e nao por isto em "praça publica" ainda para mais anonimo, é de uma falta de civismo e educação gritante.
2- Como poderá haver situações alheias como doença, disponibilidade horaria , etc mais uma razao para nao expor num blog, será que se um vizinho fizer barulho a noite ira por aqui tambem a queixa? ou nao sera melhor falar directamente com a pessoa...?
3- como alguem diz pode-se ter em casa até três cães em casa e um terraço faz parte dela logo basicamente nao podera fazer nada a não ser falar com as pessoas.

Anónimo disse...

Faltou assinar para ser coerente com o ponto 1.

Iola disse...

Boa noite, como fui eu que enviei o mail, apenas gostava de esclarecer que a minha intençao não foi de modo algum trazer uma situação em particular para a "praça publica", não identifiquei o lote em causa e como disse, "felizmente" não é no meu prédio. Contudo, a minha questão continua a ser como proceder numa situação destas.
É lógico que podemos ser todos, principalmente quando anónimos, muito cordeais, mas certamente que me seria dificil pedir a um vizinho por favor para ser asseado... afinal estamos a falar de principios básicos, e de pessoas adultas.
Enfim, o que eu gostava mesmo é de não ter dasacatos no meu prédio por uma situaçao do género e cortar logo o "mal pela raíz".
Será possivel um condominio
proibir a existencia de caes nas habitações? Eu já procurei a legislaçao a este nível, mas não consigo descobrir nada.

Anónimo disse...

Tenho conhecimento de que existe um ou outro condominio que acordaram essa situação, da qual não estou a favor. Penso que todos nós temos o direito de ter o animal ou animais que quisermos dentro de um espaço que é nosso. No entanto, há saber respeitar os outros para sermos respeitados.

Sferreira disse...

Boa tarde

Realmente é extremamente desagradavel, ver que uma urbanização tão recente já se depara com este tipo de problemas.
Realmente, não tomo estas respostas como criticas mas sim como desabafos.
A verdade é que também eu estou a morar nesta urbanização e também tenho problemas com um cão de um vizinho que teima em não tratar devidamente do mesmo.
É um cão de grande porte, utilizado para a caça e não como animal de estimação.
Suporto a questão dos pêlos nas varandas apesar da minha filha não poder ir para lá brincar e eu ter de andar diariamente a limpá-la, mas o que me deixa realmente enervada é a sujidade no patamar da escada, nos elevadores, nas garagens.
Senão existe condomínio suponho que o tratamento deveria ser feito entre todos e em especial por aqueles que têm estes animais para que não esteja constantemente sangue das patas nas entradas, os elevadores imundos e com um cheiro nauseabundo.
Mas não são só as pessoas que têm animais que usam e abusam.
Também eu na minha garagem tenho constantemente beatas de cigarro, jornais, maços de tabaco vazios e até para cúmulo latas de cerveja.
Será que tenho de ser eu a ir bater à porta deste Senhor e dar-lhe uma aula de limpeza e higiene?
Se este tipo de pessoas não sabe viver em comunidade respeitando o espaço que é de todos porquê vir viver para apartamentos!?

Anónimo disse...

Eu tenho terraço e três filhos, que mandam as bolas para o terraço da vizinha, que tem ^três cães e imensa falta de hijiene, já pedi para limpar o terraço porque não se agoenta o cheiro. O terraço encontra-se na mesma cheio de xixi e cócós, e as bolas dos meus filhos por cima. Eu adoro animais, mas quem quer cães tem que ser assiado e não javardo.