Colabore com o blogue

A partilha de informações e novidades são uma óptima forma de conhecermos melhor o local onde vivemos. Se tiver interesse em colaborar com o blogue, por favor envie as suas mensagens para o nosso contacto.
Para conseguirmos ter o que comprámos, é dever de todos os vizinhos zelar pelo cumprimento do plano de urbanização do Casal de Vila Chã e a correcção de erros já detectados.

Acompanhe os comentários a Promessas por cumprir.

terça-feira, 5 de junho de 2007

Certidão de teor das descrições e de todas as incrições em vigor

No dia em que fiz a minha escritura, e que efectivamente li todos os documentos, deparei-me com algumas surpresas, nomeadamente, na "Certidão de teor das descrições e de todas as incrições em vigor".
Deixo neste blog excertos desse mesmo documento.

25 comentários:

Anónimo disse...

É lamentável numa urbanização onde um T3 no minimo custa 200.000,00 €, se tenham surpresas destas e que os compradores não sejam informados destas situações antes de uma escritura, pois numa Urbanização onde temos que nos individar para o resto da nossa vida hajam aqueles para os quais continuamos a trabalhar para pagar subsidios e rendimentos minimos, que terão casas quase de borla.
É UMA INJUSTIÇA...

Anónimo disse...

Estou a pouco tempo de escriturar um apartamento num lote limitrofe ao lotes previstos de habitação social... assim que vi o documento que publicaram comesta informação contactei o construtor para desistir da compra, no entanto ele disse que esta informação ja nao esta actualizada, pois houve alterações e os lotes de realojamento ja nao sao estes. Assim agradecia que me confirmassem por favor qual a situação actual da localização destes lotes de habitação social. Obrigada

Vila Chã disse...

Boa noite,
A informação que tenho é a que está contida na "Certidão de teor das descrições e de todas as incrições em vigor" de 2007.
Antes de fazer a escritura terá que fazer os registos provisórios e um desses documentos contém toda a informação sobre a urbanização. Normalmente quem trata desses documentos é a imobiliária.
Se o construtor diz que estas informações estão incorrectas, peça-lhe documentos oficiais a comprovar a sua versão. Caso receba esses documentos agradecia que me enviasse para poder publicar neste blog a informação correcta.

Anónimo disse...

Urgente

Boa tarde,

Gostaria de saber se esta certidão de teor ainda está em vigor ou se houve alguma alteração.

Obrigada

Vila Chã disse...

Há pessoas que dizem que esta informação está desactualizada, mas até hoje ninguém enviou para este blogue documentos que comprove a sua versão. Sugiro que fale com a imobiliária ou o construtor no sentido de a esclarecer.
Já agora, se a informação publicada neste blogue estiver desactualizada, por favor, envie os documentos correctos.
Cumprimentos.

Anónimo disse...

Também fiquei surpreso com esta situação. Tive o cuidado de ir à Camara consultar o processo da urbanização. De facto estava lá essa informação. Confrontei a imobiliária, bem como o construtor, e ambos informaram que isso não iria acontecer. Também fiquei a saber, que só haveria lugar a realojamento, caso tivessem sido destruídas habitações no local da urbanização. Isso não aconteceu. De qualquer das formas, toda a gente sabe como as coisas funcionam, hoje diz-se uma coisa, mas amanhã é outra.

Anónimo disse...

Boa tarde
eu era, até ter visto a certidão, uma futura compradora em Vila Chã.
Segundo informações da própria Câmara , fornecidas a uma pessoa da minha família, as habitações sociais serão mesmo para avançar em Vila Chã. Agora, se são os lotes incialmente indicados, ou outros , isso já não sei.
o que eu acho é que estão à espera de vender todos os imoveis para depois começarem a construção dos predios destinados à HS, para não afugentar possiveis compradores.
Tentarei saber, junto do construtor mais informações.

Anónimo disse...

Será que um abaixo assinado de moradores, compradores e possiveis compradores, contra a construção de predios de habitação social em Vila Chã, iria adiantar alguma coisa? eu acho que seria uma boa ideia .
Afinal pretendem que seja uma zona nobre na AMadora, um cartão de visita da cidade, mas com habitação social, não sei se tal será possivel.
Comentem por favor.
Acho que se nos unirmos, podemos demover a CMA de tal ideia.
Agradecia ao autor do blogue que desse destaque a esta ideia, (caso concorde, claro)
Fatima

Anónimo disse...

Olá a todos.

Como moradora na Vila Chã concordo com a Fátima. Apesar de adorar este bairro, se tivesse visto a certidão há mais tempo não estaria a morar cá neste momento. Senti-me enganada pela imobiliária e pelo construtor.Acho inadmissível que as pessoas estejam a pagar uma casa cara para o resto da vida e tenham que partilhar o espaço com pessoas que não fizeram nada por isso. Além disso, existe obviamente o perigo de degradação e vandalismo, pois como todos sabemos a HS existe, mas o apoio a estas famílias e a ajuda para a integração não existe na prática...Se não fizermos nada e se ficarmos de braços cruzados este problema vai surgir mais cedo ou mais tarde. Acho que devemos lutar por um bairro sem habitação social.

Anónimo disse...

Epá, vou já vender a minha casa que comprei na urbanização por 200 mil euros e vou morar pro bairro com uma construção clandestina. Assim, daqui a uns meses somos novamente vizinhos e tenho uma casa de borla :P ...só visto.
É que ve-se mesmo que estão á espera de vender o que falta para arrancar com a construção da HS. No minimo é uma falta de respeito com os moradores, futuros moradores e com aqueles que seriam futuros moradores.

Gonçalo disse...

Olá a todos(as),

Como morador na Amadora há 28 anos, sei que de facto a nossa cidade tem o problema da criminalidade, muito como consequência da integração de grupos populacionais vindos das nossas ex-colónias.
Sou arquitecto, a minha mulher é assistente social e fechámos negócio à relativamente pouco tempo na Vila Chã, mesmo sabendo quais são os lotes destinados a Habitação Social. Não sei se sabem, mas após falar com um arquitecto conhecido na CMA, ainda não está definido se os lotes são para Habitação Social de Integração ou Realojamento, sendo que existem grandes diferenças entre elas. Realojamento, os inquilinos pagam apenas uma renda simbólica e Integração ou Inserção, terão que dar uma entrada e pagar uma renda normal, como um cidadão normal. Em relação aos lotes, e não querendo levantar suspeitas, as informações que me deram foram que serão 4 a 5 lotes destinados a este fim, que me lembre, o 52, 53, 55, 56 e 57 salvo o erro, não quero estar a dar informações erradas...
Muito sinceramente, a opção de integração num bairro de classe média/alta é de momento a melhor opção para a sociedade, pois o conceito de gueto tende a desistir (Zona J, Bairro da Bela Vista entre outros), e na maior parte das vezes, grande parte da população destes bairros clandestinos são pessoais normais como todos nós que têm um emprego e até são nossos colegas...
Após ler alguns comentários do Blog tenho também a dizer o seguinte:
- existem diversos exemplos no País de integração social que não houve qualquer problema...mas nunca foram falados pelos media, porquê? Porque não houve desacatos....
- as pessoas que vivem em habitações clandestinas pagam, na maior parte das vezes (saliento), contratos de água, luz, esgotos como todos nós e não têm condições...
- o RSI (rendimento social de inserção) é uma ajuda do estado para a integração destas e de outras famílias que já tiveram os seus dias de melhor sorte...
- não incriminem as pessoas que não conhecem, quando 65% das pessoas que roubam ou furtam em grandes superfícies são as que andam bem vestidas de fato...
Com tudo isto quero dizer que temos que estar atentos, claro, temos que ser pró-activos, mas não vamos incriminar pessoas que não conhecemos.
Tudo de bom a todos!

Gonçalo disse...

Olá a todos,

Venho corrigir a informação que dei em relação aos lotes. Os mesmos são os 85, 86, 87, 88 e 89.

Obrigado e tudo de bom a todos.

carla disse...

Concordo que tenha que haver integração, realojamentos, etc., mas se soubesse o que sei hoje não tinha comprado casa em frente ao futuro lote de habitação social. Estou mesmo a ver a confusão diurna e nocturna dos miúdos desses bairros... Porque o problema não são propriamente os adultos desses bairros são os miúdos que se sentem deslocados, ficam sozinhos o dia todo "sem nada para fazer", em vez de irem para a escola aprenderem algo de útil, juntarem-se com más companhias e preferirem a vida fácil. O roubo, furto etc etc. Só de pensar que meus filhos agora pequenos terão no futuro vizinhos de frente certamente de má índole, dá-me vontade de lutar contra o engano de que fui vitima. Nunca teria comprado mesmo em frente. Ando a pagar ao banco uma vida inteira para em frente haver confusão no futoro breve. Pois desiludam-se quem pense que não nos devemos preocupar. Os relatos dos furtos pela urbanização já começam a ser frequentes. E feitos á luz do dia por miúdos de 16 anos com caçadeiras, vindos dos bairros limitrofes.

Hugo disse...

Calma... informem-se bem!

Não está contemplada a construção de nenhum bairro social em Vila Chã. O que vai ser construído, são alguns (2 a 4) fogos de habitação a custos controlados. Como deverá saber este tipo de construção nada tem a ver com habitação social. O mais parecido que pode ser é com as habitações da EPUL. Os jovens candidatam-se e são atribuídos em concurso apartamentos em que são apoiados pelo estado no pagamento das prestações.

Estes casas não serão atribuídas a qualquer marginal ou criminoso...

PLOT disse...

Boa noite a todos,

Pretendo adquirir um imóvel na urbanização e é certo que quanto à questão de habitação social dentro da urbanização e ao fim do bairro de Santa Filomena cada qual diz uma coisa diferente.

Assim, desloquei-me à C.M.A. para consultar o PDM e obter esclarecimentos, tendo-me sido referido e apresentado o seguinte:

1) O Bairro de Santa Filomena tem um fim estimado até um máximo de 5 anos, pelo que o terreno onde se encontra já tem dono e já está em fase de loteamento;

2) Quanto a habitação social não vai haver nenhuma na urbanização. Estão previstos no PDM loteamentos de habitação a custos controlados nos lotes 85, 86, 87, 88 e 89. No entanto, foi-me tamb+em dito que os construtores estão em negociações com a C.M.A. para alterar o PDM e mudar os loteamentos para outra zona fora da urbanização e com menos valor patrimonial;

3) Cumpre-me ainda esclarecer que habitação a custos controlados nada tem a ver com habitação social. Ainda que o seu destino sejam famílias como menos recursos, este tipo de habitação tem um custo para o comprador como as nossas habitações têm e são pagas mediante empréstimo bancário como a maioria de nós, pelo que normalmente não apresentam os problemas usuais da habitação social.

undertaker disse...

Caros futuros (ou não) vizinhos…

Estou interessado na compra de um apartamento na urbanização e contactei a CMA, que me explicou o seguinte:

- A construção de habitação de custos controlados ainda está em aberto, mas é verdade que o urbanizador está a negociar com a CMA para não existir. No entanto esta questão ainda está em aberto…

- O bairro de Santa Filomena não tem ainda fim previsto, pois não há urbanizador, os terrenos encontram-se divididos pelo Estado e privados. No entanto, têm conseguido realojar pessoas para apartamentos mais antigos da amadora. Qualquer ideia como a esquadra da policia e o condominio privado de moradias entre a urbanização de vila chã e a serra das brancas é pura especulação…

Será que vale a pena arriscar ir viver para esta urbanização? É como jogar na bolsa e confiar no futuro…

Hugo disse...

Logo a esquadra já está em construção junto à escola já construída... chama a isso "pura especulação"? Não me parece!

undertaker disse...

Só estou a contar os esclarecimentos que a camara me prestou. Desconhecia por completo a esquadra? É estranho n é? Têm a certeza que é a esquadra?

Anónimo disse...

Se é esquadra ou não, não sei... o que sei é que a obra está parada à uns bons dois meses...

Anónimo disse...

Boa noite.
Devo dizer que fiquei escandalizada com todos os comentários e disparates que li neste blogue. Devo dizer que uma habitação a baixo custo não significa marginalidade. Eu mesma sou proprietária de um apartamento a baixo custo. E não me arrependo um pouco.os meus vizinhos são na sua grande parte professores, polícias,bancários. São pessoas que botaram por este gênero de habitação quando se começou a sentir a crise. Peço desculpa se os Srs resolveram se endividarem o resto das vossas vidas só para ficarem bem perante a sociedade. Em vez de pensarem que com um apartamento mais em conta teriam uma melhor qualidade de vida pois o dinheiro que todos os meses entregam ao banco poderia ser empregue noutras coisas. acho que as vezes antes de falarem sobre o que não sabem deveriam se instruir um pouco.

Anónimo disse...

à publicação 21/08/13, professores,polícias e bancários, não costumam ser os proprietários dos vários bairros de habitação a custos controlados que aparecem nos noticiários, em concelhos distribuídos por este país, com maior relevo para os distritos Porto,Lisboa e Setúbal. Quanto às opções pessoais em como cada um pretende investir o seu dinheiro, não lhe compete a si fazer juízos de valor. Quando alguém resolve mudar de casa, entre outros factores, certamente pensa mudar para melhor, e essas expectativas são legítimas, a quem paga os seus impostos, a quem a tempo honra os seus compromissos. A autarquia que tantos cartazes coloca com as suas parangonas, inclusivé de coisas que nunca chegou a construir, é estranho não ter colocado um cartaz a mostrar o projecto da urbanização com a dita habitação a custos controlados. Eu pago a minha cas, eu decido se quero viver ao lado de habitação social, custos controlados, eu é que devo decidir, e FOMOS TODOS ENGANADOS. A autarquia, ESCONDEU, deixou a urbanização ser construída, vendida e no final vai chapar esses edifícios que são pagos por TODOS NÓS.

lidia soares disse...

a maior parte dos comentarios meu deus são mesmo de gente que deve ter a mania que é superior aos outros gente mesquinha e cheia de ideias descriminatorias e que gostam muito de se meter na vida dos vizinhos ,deus me livre de viver nesse bairro

Anónimo disse...

Graças a Deus que não vem viver para este bairro! Quem escreve comentários como o seu, certamente que não será muito melhor que o tipo de pessoas que descreve e que julga com base em tem poucas evidencias.

Anónimo disse...

Investisse 200 mil euros num T3, apostasse criar os seus filhos na Amadora e num ambiente melhor, e depois ver a sua arrecadação assaltada e vandalizada, por duas vezes, assistir às 18h a um assaltado a uma senhora por QUATRO indivíduos que roubaram a mala, atiraram-na ao chão e fugiram para STª Filomena, elevadores vandalizados, garagens assaltadas.
E nós é que descriminamos. Não chateamos ninguém, mas é a nós que nos estragam os nossos bens, comprados com o nosso salário (porque trabalhamos) é onde vivemos que vêm causar este clima de medo e insegurança.

Anónimo disse...

Boa noite.
Depois de 7 anos, qual é o veredicto?

Houve a criação da Habitação Social?
Os lotes destinados aos fogos de custo controlado foram criados?
Os habitantes primários, continuam com o sentimento de perda/engano?
Aconselham ou não a investir numa habitação na urbanização de Vila Chã?

Obrigado.