Colabore com o blogue

A partilha de informações e novidades são uma óptima forma de conhecermos melhor o local onde vivemos. Se tiver interesse em colaborar com o blogue, por favor envie as suas mensagens para o nosso contacto.
Para conseguirmos ter o que comprámos, é dever de todos os vizinhos zelar pelo cumprimento do plano de urbanização do Casal de Vila Chã e a correcção de erros já detectados.

Acompanhe os comentários a Promessas por cumprir.

domingo, 6 de abril de 2008

Os cãezinhos, os seus donos e os espaços verdes

Boa tarde,

Gostaria que colocassem a mensagem que envio em baixo no blog (pelo qual dou os parabéns!), na medida que creio ser um assunto no interesse de todos os moradores de Vila Chã.

É vergonhoso o estado em que se encontram os espaços verdes da urbanização por culpa dos donos dos cãezinhos que, ao invés de os levarem a passear em terrenos baldios (coisa que não faltam à volta do bairro!), preferem pô-los a fazer as necessidades nos terrenos ajardinados. O resultado já está á vista de todos: a relva já tem peladas e, nos últimos dias de calor, o cheiro tornou-se nauseabundo. É nojenta esta conversa, não é? Pois nojento é aquilo que avisto da minha janela. Os cãezinhos são sempre os mesmos e os donos também, é claro. A culpa não é dos bichos, claro. Adoro animais, - sempre os tive, aliás – mas de espécies que nunca incomodaram os outros, embora também ache muito mais piada a um cão do que a um peixe num aquário. A culpa é dos donos, que acham que o melhor sítio para os pôr a c... é ali mesmo por baixo da esplanada da pastelaria Pão de Mel e do nariz de quem está a tomar o pequeno-almoço! E do outro lado da rua, junto ao lote 57, o jardim ainda está pior: todo enfeitado de presentes caninos. Toda a gente se queixa da sobrelotação dos subúrbios onde as pessoas vivem umas em cima das outras e não têm um sítio para brincar com os filhos. Toda a gente diz que as câmaras e os construtores só sabem é construir/vender prédios. Toda a gente se queixa da falta de espaços verdes mas, quando os temos, damos cabo deles...


____
Nota: e-mail enviado por Vanessa Fidalgo

4 comentários:

Anónimo disse...

A falta de civismo e repeito reina! O que essa gente merece, é que chegar um dia à sua porta de casa e ver um amontoado de m... e com um recado a dizer "presente dos vizinhos!" Pode ser que abram os olhos.

Marco disse...

Para os mais distraídos informo que o facto dos cães defecarem nos jardins dá direito a uma coima (multa), prevista no Regulamento de Conservação de Árvores, Espaços Verdes, Jardins, Alamedas e Parques, aprovado pela Câmara Municipal da Amadora.
Infracção ao Art.º 4.º n.º 1 alínea e) , nos espaços verdes, jardins e parques municipais é proibido: permitir que os canídeos cuja propriedade lhes pertença transitem, dejectem ou urinem em qualquer destas zonas.
Punida pelo Art.º 11.º n.º 1 alínea a), com a coima de montante variável entre metade e dez vezes o ordenado mínimo nacional fixado para os trabalhadores por conta de outrem.
Já que por norma os Portugueses se preocupam mais com a carteira, do que com as maneiras, vale a pena pensar um pouco, talvez assim evitem um pequeno arrombo nas finanças.
À vossa consideração…

Anónimo disse...

Eu sou morador na vila chã, tenho 1 cão mas apanho os presentes que ele deixa. Os espaços verdes são de todos, se o cão é seu leve também o presente que ele deixou.

Anónimo disse...

"O seu animal de estimação é um porco ou um cão?
Nos parques infantis e nos jardins, as crianças tornam-se alvos vulneráveis. Basta o contacto com a relva e areia, conspurcada minutos antes pelo animal que aí defecou, e o acto de levarem as mãos à boca torna-se a porta de entrada para a ingestão de ovos de parasitas ou de larvas.
As fezes de um cão alojam vírus, bactérias e parasitas perigosos para a saúde humana, sobretudo a das crianças.
Os dejectos de animais são veículos de doenças que, em alguns casos, tanto nos adultos como nas crianças, podem ser fatais."
Doenças que podem ser transmitidas:
- Hidatidose humana
Doença endémica conhecida por quisto hidático. O cão transmite a infecção para o exterior através dos ovos microscópicos nas fezes, que depois o Homem pode ingerir ao fazer festas ao animal ou estando em contacto com a relva contaminada. Esta enfermidade pode ser fatal em muitos casos. Os agentes patogénicos alojam-se no fígado, nos pulmões e mesmo no cérebro.
- Toxocarose canina
Nesta patologia, os parasitas do cão ou gato, conhecidos vulgarmente por lombrigas, são transmitidos ao Homem através do contacto das mãos sujas com a boca. Apesar das lombrigas nos animais, atingirem a sua maturidade sexual no intestino, no Homem isso não acontece e as larvas acabam por migrar para outros órgãos. A doença provoca problemas respiratórios, aumento do fígado e alterações oculares que podem levar, em casos extremos, à cegueira. Muitas vezes, os sintomas da toxocarose podem confundir-se com uma gripe ou hepatite, o que dificulta o diagnóstico.
- Ancilostomose canina
Pode penetrar na pele dos humanos e provocar comichão, desconforto e mal-estar geral.
Agora pensem que o vosso animalzinho de estimação é mais do que isso...se não tiverem os cuidados necessáros com eles e com as suas próprias necessidades.
Ass: Vizinho indignado com os presentes dos vossos "brinquedos animados".